Imagem: Shutterstuck

Texto adaptado e traduzido do original em inglês*

Atletas de ponta e membros das tropas de elite do serviço militar usam essas estratégias para transformar o estresse em energia produtiva. Você também pode.

Um pouco de estresse pode levá-lo a ter melhor desempenho. Deixe que o estresse fique fora de controle, e você corre o risco de ficar esgotado e de ter problemas graves de saúde. Embora seja um conceito bastante simples de entender, na prática, gerenciar efetivamente o estresse é muito mais difícil. Por exemplo: 30% dos americanos que visitaram um médico entre meados de 2017 e meados de 2018 estavam com problemas relacionados ao estresse, de acordo com uma pesquisa realizada pela empresa de mídia Everyday Health.

Descobrir qual o estado adequado de pressão para incentivar a clareza mental e que não desgaste o corpo e a mente, é onde a maioria dos líderes deseja estar na maior parte do tempo. Felizmente, psicólogos e coaches de desempenho dizem que você pode treinar seu cérebro para chegar lá, e até alavancar o estresse em situações de alto risco.

Começa com a compreensão dos papéis que dois hormônios, adrenalina e cortisol, desempenham no estresse. Aqui está o que você precisa saber:

Adrenalina e Cortisol

Sempre que seu corpo percebe uma ameaça, como receber um e-mail irritado ou mais uma tarefa dentro de uma carga de trabalho esmagadora, ele libera uma onda de adrenalina e cortisol em seu corpo. Um artigo de março de 2019 publicado pela Mayo Clinic resume efetivamente a função de cada hormônio:

>> A adrenalina aumenta sua frequência cardíaca, eleva sua pressão arterial e aumenta a energia.

>> O cortisol suprime funções que não ajudam em situações de luta ou fuga, como os sistemas digestivo e reprodutivo, e envia sinais para as partes do cérebro que controlam o humor, a motivação e o medo.

Juntos, eles podem mudar o jogo em situações de alto risco, diz Jarrod Spencer, psicólogo esportivo e autor que trabalhou com atletas universitários da Universidade de Maryland e da Universidade de Princeton, entre outros. Segundo ele, o estresse pode aumentar seu foco em um grau extremo. É por isso que os prazos e a pressão do tempo podem ser tão eficazes para o desempenho, pois o cortisol permite uma produtividade acima da média, enquanto a adrenalina fornece energia para aumentar suas capacidades físicas e mentais.

Uma espada de dois gumes

Ao mesmo tempo, permanecer equilibrado enquanto estressado pode ser um desafio e os mesmos dois hormônios são os culpados. “Seu corpo está entrando no modo de sobrevivência e, em 99,9% das vezes, você não está em uma situação de vida ou morte”, explica Graham Betchart, um coach de habilidades mentais que trabalhou com estrelas do basquete da NBA, como Ben Simmons e Karl-Anthony Towns, bem como funcionários da empresa de capital de risco True Ventures e Silicon Valley Bank. “Você pode estar apenas conversando com alguém com quem trabalha e, de repente, ‘bang’, você está neste estado muito limitado e primordial de pensamento. Você está basicamente lidando com velhos instintos.”.

Se você não encontrar maneiras de se recuperar de situações estressantes, sujeitará seu corpo a uma superexposição à adrenalina e ao cortisol, de acordo com a Clínica Mayo. A longo prazo, o estresse crônico aumenta o risco de ansiedade, depressão, problemas digestivos, dores de cabeça, doenças cardíacas, problemas de sono, comprometimento da memória e da concentração e outros problemas de saúde.

Estratégias para o estresse

Os seres humanos têm um mecanismo embutido para gerenciar o estresse enquanto ele acontece: a capacidade de respirar profundamente. É uma correção temporária e de curto prazo, mas poderosa, diz Louisa Sylvia, psicóloga da equipe do Hospital Geral de Massachusetts e professora da Harvard Medical School, que muitas vezes trabalha com veteranos de guerra militares e membros dos serviços especiais das forças armadas americana. Sylvia explica que fazer “grandes respirações profundas” ajuda no acoplamento cardiorrespiratório, na sincronização da frequência cardíaca, no ajuste da pressão arterial e na normalização da respiração, que, por sua vez, ajuda a manter a cabeça tranquila sob pressão.

A longo prazo, acrescenta Betchart, você pode treinar seu cérebro para tirar proveito dos pontos positivos do estresse e ignorar os negativos. Ele se refere ao seu método favorito, a técnica MVP:

>> Meditação (Meditation) – que treina sua respiração e a capacidade de permanecer mentalmente firme em situações difíceis.

>> Visualizando (Vizualizing) – a superação dos obstáculos, que fornece a perspectiva que você precisa para perceber que, geralmente, os seus estressores não são situações de vida ou morte.

>> Conversa interna positiva (Positive self-talk)que o motiva a trabalhar duro para gerenciar regularmente o estresse.

Praticar todos os três diariamente, diz Betchart, pode ajudar a reformular a própria natureza do estresse. “O estresse é apenas energia, certo? É negativa quando você não quer a energia lá ou não consegue lidar com ela”, diz ele. “A pessoa que entende como transformá-lo em energia positiva e oportunidade tem uma grande vantagem, mas você precisa desse treinamento sobre como aproveitá-lo. Caso contrário, ele poderá sobrecarregá-lo.”.

(*) Traduzido e adaptado por Albírio Gonçalves do artigo original ‘How Stress Hormones Work – and How to Harness Them’, de Cameron Albert-Deitch, publicado (em inglês), pela Inc..

Fonte: Inc..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.